Quero fugir


Eu estou cansada
Surrada por golpes da vida
Maltratada por dores tão minhas

Não me sinto inteira
Insisto em me esconder
Livrar-me de expectativas frustradas

A caminhada não tem tanto incentivo
Do choro não tenho mais receio
Os gritos já não me libertam

Uma enorme muralha invade o coração
O controle perde o controle
E os sonhos viram alucinações

Quero fugir!
Fugir do que talvez não tenha fuga
Fugir para quem sabe me encontrar

6 comentários:

  1. Há fugas que valem a pena.
    Outras, nem tanto...
    Beilo poema, gostei.
    Fernanda, tem um bom fim de semana.
    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou Nilson. Volte sempre. Uma semana iluminada para você.:)

      Excluir
  2. Respostas
    1. Fiquei feliz com seu comentário. Volte sempre :)

      Excluir
  3. Gostei, de tudo... da ilustração... dos versos... dos contrastes... beleza...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom Adamar. Sinta-se convidado a voltar outras vezes :)

      Excluir

Como foi maravilhoso receber você aqui no "Poesia Impulsiva". Fique a vontade para comentar e até mesmo voltar quantas vezes quiser.

Leia antes de fazer seu comentário:

* Os comentários do Blog são moderados e serão liberados após constatação de que estão de acordo com assuntos do post;

* Podem comentar no blog qualquer pessoa devidamente identificada;

* Palavras ofensivas não serão aceitas e consequentemente removidas;

* Os comentários não refletem a opinião da autora.